Mercado Medieval
2004

Como em outros anos, muitos milhares de pessoas, visitaram o Mercado que nesta edição contou com algumas novidades. Cada dia teve uma temática diferente, possibilitando a todos os visitantes um contacto direto com o passado. Segundo Telmo Faria, presidente da Câmara Municipal de Óbidos, “à semelhança dos dois últimos anos, Óbidos volta a dar um mergulho na História e a reviver os hábitos e costumes de outros tempos”.
O Mercado Medieval de Óbidos é, nesse momento, um dos eventos que mais gente atrai a esta Vila, “sendo um marco na recriação histórica em Portugal”, entende o autarca. Na edição de 2004, durante 11 dias, “num programa forte e cheio de surpresas, vamos procurar fugir à nossa vida contemporânea e estabelecer laços com o passado. Um passado que faz parte do nosso imaginário e que aqui, em Óbidos, pode ser vivido com intensidade”, sublinhou.

15 de Julho – Dia dos Ofícios e Mesteres
Dia em que os espetáculos se concentraram nos artesãos e nos temas relacionados com os seus ofícios. Visitas dos meirinhos e seus fiscais para apuramento do rigor e qualidade.

16 de Julho – Dia das Bruxas e Feiticeiros
Dia dos cultos pagãos. Caça às bruxas. Auto de fé em que todas as bruxas foram queimadas. Deu-se destaque às medicinas alternativas, cartomantes, etc.

17 de Julho – Dia da Peste
Houve um surto de peste, e foi decretado o encerramento das portas do castelo ao findar do crepúsculo. Dentro do castelo, físicos com máscaras, piras de cadáveres em chamas, coveiros com carros de mão transportaram e enterraram os mortos.

18 de Julho – Revoltas Populares
Dia em que o povo, revoltado com os impostos excessivos, a fome, os maus tratos e outras injustiças, se organizou e atacou o celeiro do senhor feudal. A Revolta do Povo.

19 de Julho – Dia das Danças
Houve Oficinas de dança ao longo de todo o dia e concertos com todos os atores e público que dançaram noite dentro. Das danças palacianas, às danças populares.

20 de Julho – Dia da Mulher e da Criança
Como vivia a criança na Idade Média? Brincadeiras de crianças. Mediavalíadas (espécie de gincana medieval que termina no castelo… Dia dedicado às crianças do concelho de Óbidos – foram feitos jogos tradicionais, jogos de lógica, caças ao tesouro… Peças de teatro para a infância.
O papel da mulher nas sociedades medievais. Personagens medievais femininas que se destacaram e marcaram o seu papel na história: Joana d’Arc vs Padeira de Aljubarrota.

21 de Julho – Dia da Fé das Três Religiões
Mouros, judeus e cristãos; a interação entre as diferentes culturas.

22 de Julho – Dia dos Cruzados
Chegada das tropas estrangeiras ao país. Dia que antecedeu o assalto ao castelo. Os preparativos para a guerra.23 de Julho – Dia da Grande Batalha Construção de armamento ao vivo. À vista de todos, descanso do guerreiro numa hora da tardepara recuperação das forças. Abertura das tascas para a despedida dos guerreiros… Preparação da armaria. Adobamento dos cavaleiros. Assalto.

24 de Julho – Dia das Sete Artes
Pintura, escultura e arquitectura.
Literatura: das cantigas de amigo, às de escárnio.
Teatro profano: arremedilhos, histriões, comédias.
Chegada das trupes ao mercado atravessando toda a vila.

25 de Julho – Dia do Clero
Procissões. Missa campal: como era uma celebração eucarística na idade média. Via sacra (noite). Peregrinos de Santiago.

Seminário de Dança Medieval – Ranchos de Óbidos aprendem “novas” técnicas de dança
Na sequência do seminário sobre Dança Medieval e Renascentista, que teve lugar a Fevereiro 2004, os ranchos folclóricos da Capeleira e do Arelho aprofundaram a sua formação com a Professora Maria dos Anjos Lobato, do grupo ‘Danças com História’, com o objetivo de participarem no Mercado Medieval de Óbidos.
Depois de uma actuação do Grupo «Danças com História», realizada no âmbito da Feira do Livro de Óbidos 2003, surgiu a ideia de alargar as ligações deste grupo à vila no sentido de se aliar uma componente formativa às suas atuações que são preferencialmente realizadas em cenários históricos. O seminário do dia 28 de Fevereiro procurou assim estabelecer uma relação mais estreita entre o grupo e a população, de modo a que desenvolvessem conhecimentos sobre a época medieval que iriam enriquecer as iniciativas de carácter histórico que a Câmara Municipal de Óbidos tem vindo a empreender. Convidados a participar no referido seminário, os ranchos folclóricos da Capeleira e do Arelho aderiram ao desafio de se apresentarem no âmbito do Mercado Medieval 2004, com danças de época.
Seguidamente, em Maio, no Salão da Associação Cultural e Recreativa Pinhalense, tiveram lugar mais duas ações de formação sobre Dança Medieval e Renascentista, abertas à população, cujo objetivo era aprofundar os conhecimentos adquiridos em Fevereiro.

Mais de 100 mil pessoas dão um “mergulho na história” em Óbidos
Depois de 11 dias de grande animação, o Mercado Medieval de Óbidos chegou ao fim. Durante os dias de festa, que foram um verdadeiro ‘mergulho na história’, o certame foi visitado por mais de 100 mil pessoas, o que, segundo a organização, confirmou o sucesso previsto.
Francisco Salvador, presidente do conselho de administração da ‘Óbidos Patrimonium’, empresa municipal responsável pela organização dos eventos culturais e turísticos de Óbidos, afirmou que “as expectativas com que partimos foram confirmadas”. Os organizadores previram uma afluência de público de cerca de 70 mil visitantes, “o que veio a ser ultrapassado”.
Com um orçamento de 140 mil euros, o Mercado Medieval de Óbidos, “praticamente, acaba por pagar-se a si próprio”, disse Francisco Salvador, ressalvando o “trabalho desenvolvido por todos, desde os funcionários da autarquia, às coletividades, atores, animadores. No fundo, toda uma equipa, direta e indireta, de mais de 500 pessoas, todos os dias”, frisou.
Telmo Faria, presidente da autarquia, afirmou que “o salto, este ano, foi o da qualidade e do aperfeiçoamento em relação a anos anteriores. A prova aí está com a duplicação de entradas pagas e do consumo no mercado”. O autarca disse ainda que “a resposta não podia ter sido melhor ao juntarmos pessoas de todas as bolsas e formações, garantindo a riqueza sociológica do evento como produto cultural muito abrangente”. “Essa aposta é indiscutível e significa que estamos no bom caminho”, concluiu Telmo Faria.

O Mercado Medieval em números
Desde 2002 que o Mercado Medieval vinha a demonstrar o seu crescimento. A autarquia fez alguns investimentos que permitiram uma maior autonomia. Por exemplo, a Câmara Municipal de Óbidos adquiriu, nesse ano, bancas que foram utilizadas no certame, permitindo uma maior uniformização do estilo do Mercado Medieval. Contando já com este investimento, a edição desse ano, orçada em cerca de 140 mil euros, envolveu, entre participantes diretos e indiretos, mais de 500 pessoas. Estiveram presentes no certame 23 coletividades e associações do concelho, 48 artesãos de diversas partes do país e da Europa, nomeadamente de Espanha.
Em termos de animação, o Mercado Medieval de 2004 contou com a presença de 26 grupos (Portugal, Espanha, Bélgica, Alemanha e Reino Unido), totalizando 140 pessoas. Atuaram, ao longo dos dias do Mercado, 11 grupos musicais e ainda 2 ranchos folclóricos do concelho que, nos últimos meses, tiveram formação na área das Danças Medievais.
Na Cerca do Castelo, o principal local deste Mercado Medieval, estiveram presentes 12 tabernas onde foram servidas refeições completas. Na Praça de Santa Maria foram colocadas mais 10 tabernas com refeições ligeiras, o que envolveu mais de 100 participantes diretos das coletividades e associações do concelho.

Fontes
Tinta Fresca – Jornal de Arte, Cultura & Cidadania – 27 Junho 2004
RIO – Revista Informativa de Óbidos – Maio | Junho 2004
RIO – Revista Informativa de Óbidos – Julho 2004

Todos os direitos reservados @ Município de Óbidos

Translate »